Como prevenir a inadimplência imobiliária

Como prevenir a inadimplência imobiliária

Seus clientes estão com problemas de inadimplência imobiliária? Aqui estão algumas dicas para reduzir esse problema

A inadimplência imobiliária é um problema real em condomínios e imobiliárias.

Com a chegada de um novo ano, novas ideias precisam ser planejadas para que a inadimplência não prejudique seus negócios, muito menos o seu condomínio.

Ao advogado imobiliário, nosso alerta: é nesse momento que, táticas consultivas e novos conhecimentos ajudarão a fidelizar ainda mais seus serviços.

Infelizmente, vivemos uma realidade em que empresas, administradoras de condomínios e imobiliárias só se lembram de assessorias jurídicas quando o problema aparece.

O ano de 2017 foi marcado por diversos ocorrências de inadimplência e problemas com pagamento.

A imobiliária foi uma delas. E, muitas incorporadoras, construtoras e empresas do setor querem diminuir esse risco para o próximo ano.

Por isso, como advogado, precisamos pensar em algumas dicas que poderão auxiliá-lo na consultoria junto a empresas da área de construção.

Se você enxerga que esse assunto pode ajudá-lo a abrir portas e novos negócios, continue conosco.

Elaboramos um material que irá auxiliar você a ajudar seus clientes e potenciais clientes a aumentarem a liquidez no próximo ano.

Diminuir a inadimplência não irá fazer esse fantasma desaparecer. Por outro lado, irá permitir que empresas administrem melhor a dívida de clientes, locadores e condôminos.

Precisamos, antes de mais nada, lembrar que, se um sujeito está com problemas de liquidez, ele pode realmente estar passando por um mau momento, e ajudar na solução é algo que faz com que todos saiam ganhando.

Quer entender melhor como permitir que a inadimplência imobiliária seja um fantasma tão grande em seu negócio no próximo ano? Continue conosco para mais dicas.

Como diminuir a inadimplência imobiliária?

O assunto inadimplência imobiliária pode ser dividido em 2 etapas: evitar a inadimplência, e diminuí-la, quando ela acontecer.

Para que os problemas sejam solucionados e os riscos mitigados é importante ter em mente que é preciso pensar nessas 2 vertentes.

Antes de mais nada, através de mecanismos que permitam que a inadimplência seja evitada.

Muitas vezes, o cliente não paga a sua cobrança porque não a recebeu, porque não visualizou, ou porque ela, simplesmente não chegou no momento que ele esperava.

Dezenas de problemas relacionados a esse detalhe podem acontecer, e garantir que a cobrança chegue adequadamente é a primeira coisa a ser feita.

O segundo passo é quando a inadimplência já aconteceu. Nesse momento, algumas atitudes podem aumentar suas chances de receber, e coloca-las em prática o quanto antes vai melhorar o cenário.

Vamos entrar, detalhadamente, em cada uma dessas etapas do processo.

Como evitar a inadimplência imobiliária?

Para evitar a inadimplência, e não permitir que esse problema se torne uma rotina em negócios imobiliários, é preciso pensar em processos que evitem o atraso no pagamento.

A melhor maneira de fazer isso é criar processos de emissão de cobranças transparentes, para que o cliente efetue o pagamento.

Inadimplência Imobiliária

#1. Boletos acessíveis

Hoje existem diversos serviços de emissão de boletos que permitem o agendamento recorrente de mensalidades, parcelamento de débitos e outros recursos.

A emissão do boleto não precisa ser mais realizada de forma manual, para cada cliente, antes do vencimento.

Muitos sistemas de pagamento permitem que você crie a cobrança apenas 1 vez e dispare-a de maneira recorrente, mensalmente, antes do vencimento.

Dessa maneira, você consegue programar apenas 1 vez um determinado pagamento e ele é disparado mensalmente, evitando transtornos.

Antes do vencimento, o boleto é enviado diretamente para o e-mail do cliente, e dá acesso a relatórios de leitura, cliques e toda a atividade após o envio da cobrança pode ser acompanhada.

Se você gostou dessas informações, pode acessar a Cobre Fácil e a Superlógica, que oferecem recursos como os citados acima e que podem ajudar você.

#2. Lembretes de vencimento

Muitas pessoas recebem a fatura por e-mail hoje, e por conta da correria do dia-a-dia, acabam esquecendo da sua importância.

Por isso, agendar lembretes de vencimento é uma ótima oportunidade de lembrar o cliente da cobrança que irá vencer em breve.

E-mails informando do vencimento da cobrança, no dia anterior ao vencimento, por exemplo, podem ajudar muito a evitar que as pessoas não paguem seus boletos por puro esquecimento.

Em muitos casos, envios de SMS com lembretes personalizados, bem como link para emissão da fatura, também facilita, diminuindo o risco de não pagamento.

Ambos os casos podem ser automatizados, com a utilização de ferramentas, sistemas e ERPs imobiliários, que auxiliam a automatizar todo o processo de recebimento, aumentando as chances de receber em dia.

Como diminuir a inadimplência imobiliária

Quando chegamos aqui, a inadimplência já aconteceu. Você pode ter feito o melhor para receber em dia, mas nada serviu.

Agora, o que é preciso é um processo rápido e efetivo de cobrança que permita receber em tempo hábil, não tornando a inadimplência algo eterno.

Algumas dicas podem ajudar.

Inadimplência Imobiliária

#1. Acesso fácil à 2ª via do boleto

O boleto venceu, e como um documento vencido, só pode ser pago no banco emissor.

Você sabia que isso aumenta ainda mais o seu tempo de recebimento após a inadimplência?

Isso acontece porque as pessoas simplesmente tendem a postergar a ida ao banco para enfrentar filas e quitar o débito.

Esse problema pode ser contornado de maneira simples e prática: fornecendo um link para emissão da segunda via do boleto.

Ao fazer isso, o cliente inadimplente pode emitir uma segunda via, que pode ser paga em qualquer banco, já com valor atualizado com juros e multa.

E o melhor de tudo: os sistemas de emissão de cobrança modernos, de maneira geral, já oferecem essa funcionalidade.

#2. Cartas e e-mails de notificação de atraso

Muitas vezes o documento já está em atraso há mais de 2 dias. Nesse momento é hora de iniciar o processo de cobrança.

Cobranças telefônicas, via e-mail, e até mesmo notificações por cartas podem ser úteis para abrir diálogo e permitir a negociação entre as partes.

O que você não pode permitir aqui é que seu cliente espere mais do que 3 a 5 dias para iniciar esse processo.

Quanto mais rápido começar o seu processo de cobrança, maior são as suas chances de receber.

Agora você já sabe: atrasos maiores do que 5 dias precisam de cobrança. Ela pode começar via e-mail, passar para o telefone e terminar com notificações extrajudiciais.

O que você não pode é deixar de agir.

#3. Vias judiciais

Existe a possibilidade de nada disso dar certo. Algumas pessoas simplesmente não irão pagar, mesmo você seguindo o passo-a-passo que listamos acima.

Nesse caso, é hora de agir como advogado e iniciar o processo de cobrança judicial, seja através de uma execução, despejo por falta de pagamento, ação monitória, dentre outros recursos.

O importante é não demorar muito para seguir esse trâmite para que a dívida só aumente e seus problemas com inadimplência imobiliária nunca acabem.

Siga esses passos para uma diminuição da inadimplência imobiliária

Como você pode ver, estruturar um processo de recebimento e cobrança fará toda a diferença no número de inadimplentes do seu negócio.

Sendo advogado, levar informações relevantes como essa para seus clientes é importante pois fará com que eles estruturem melhor sua área de cobrança para diminuir o tempo até o recebimento.

Esperamos que nossas dicas tenham sido úteis. Certamente elas vão permitir um 2018 mais eficiente para negócios imobiliários.

Se você quer ir além e sair na frente para aproveitar o direito imobiliário plenamente, bem como fazer a diferença para seus clientes, pode adquirir nosso pacote de petições imobiliárias, já atualizadas de acordo com o novo CPC.

Você terá mais de 100 modelos disponíveis:

  • Modelos de petições iniciais.
  • Modelos de recursos.
  • Modelos de manifestações.
  • Modelos em formato .doc editáveis.
  • Todo material agrupado em casos práticos.

Quer saber mais? Acesse agora nossas petições imobiliárias.

Deixe uma resposta

Fechar Menu