Dicas para redigir uma reclamação trabalhista

Reclamação Trabalhista

Quer ser bem sucedido em sua reclamação trabalhista? Aqui está o que um bom advogado deve fazer

O mundo do Direito vem mudando constantemente, principalmente com a evolução das relações. Isso também vale para a maneira de redigir sua reclamação trabalhista.

Com resultado disso, magistrados vêm também, reformulando suas orientações e posicionamentos sobre boas práticas no momento de peticionar.

Traçando um paralelo sobre as petições, longe estão os dias em que citações em latim, proselitismo e escrever demais funcionavam melhor para defender um caso ou ponto de vista.

Falando de maneira prática, alguns números do Conselho Nacional de Justiça mostram que um magistrado soluciona 7,3 processos por dia no Brasil.

E esse número pode chegar ao acumulado de 310 mil processos por juiz.

O que podemos concluir com isso? Que praticidade, clareza e demais informações podem ajudar na hora de peticionar e conseguir ter sucesso em seus pedidos.

Afinal, quanto mais simples for o entendimento da causa que representamos, mais simples será o entendimento e isso pode falar a nosso favor.

Mas, o que isso realmente significa?

Significa que, como bom advogado, você quer aumentar as suas chances de ter êxito em um processo.

E, para isso, nada melhor do que seguir algumas boas condutas no momento de peticionar uma reclamação trabalhista.

Não estamos aqui, querendo, ou sugerindo que você não siga os requisitos fundamentais para peticionar.

Muito pelo contrário. A obrigatoriedade processual deve seguir, mas você pode lançar mão de algumas dicas para que seu processo realmente defenda seu ponto de vista, para que você não perca tempo.

#1. Use destaques e grifos de maneira inteligente

Como o próprio nome já diz, destaques e grifos servem para destacar alguma parte da peça processual que merece especial atenção por parte do magistrado.

Sabemos que, em uma reclamação trabalhista, muitas partes são essenciais, e muitos detalhes precisam ser ressaltados.

Mas, antes de sair grifando toda a peça processual, aja de maneira moderada.

Nossa dica é que você só destaque aquilo que é imprescindível para chamar atenção.

O seu raciocínio deve ser: se minha reclamação trabalhista não for lida por completo, o que eu preciso garantir que não passe desapercebido?

Utilize essa regra para desatacar os pontos imperdíveis de sua defesa.

Assim você vai facilitar o trabalho do magistrado, realmente chamando atenção dele para os pontos que precisam ser ressaltados e que precisam de mais atenção.

Reclamação Trabalhista

#2. Seja objetivo

Foi-se o tempo em que ser prolixo em peças processuais era bem visto.

Acredite, advogado que distribui peças enormes, que mais se parecem livros do que reclamações trabalhistas, não são bem vistos.

Você não precisa fazer um compêndio de legislação, jurisprudência, acórdãos e doutrina para defender o seu ponto de vista.

Não será a quantidade que irá falar a seu favor. Será a sua capacidade de sintetizar tudo o que a lei diz sobre o direito dos seus clientes, de maneira simples, direta e objetiva.

Cada vez mais, o Direito caminha no sentido de reduzir trâmites, buscar a automatização de procedimentos e privilegiar a oralidade nos procedimentos.

Tudo isso, pensando em beneficiar e reduzir o tempo e as fases processuais.

Diante desse contexto, as peças processuais também mudam. Juízes, desembargadores e partes, esperam peças cada vez mais objetivas e sintéticas.

Isso facilita a evolução do processo e clareza dos argumentos. Se você reparar bem, até mesmo decisões e sentenças têm seguido essa tendência.

#3. Numere seus parágrafos

Pode parecer um tanto esquisita essa sugestão. Mas, numerar seus parágrafos ajuda, essencialmente a complementar o argumento acima.

Se você tem dúvidas de sua funcionalidade, ou acredita que numerar parágrafos pode estragar a estética de sua peça processual, vamos explicar melhor porque fazer isso.

Numerar os parágrafos fará com que o leitor da sua reclamação trabalhista tenha muito mais facilidade em lembrar e, posteriormente, localizar os fatos narrados e os argumentos ventilados.

Para tanto, bastará apenas anotar o número do parágrafo da sua petição. Se quiser abandonar a numeração de páginas, tudo bem.

Mas, numerar os parágrafos irá permitir que você otimize o entendimento, argumentação, e principalmente decisões sobre sua reclamação trabalhista.

#4. Elimine adjetivos desnecessários

Esse talvez seja o maior erro dos advogados: a utilização desnecessária de muitos adjetivos e advérbios.

Sabemos que o objetivo de uma reclamação trabalhista é enfatizar seus argumentos, mas isso só vai distrair qualquer pessoa que ler a sua petição, e tornar ainda mais difícil o entendimento dos fatos e argumentos apontados.

Podemos, adicionar aos adjetivos e advérbios, a utilização de vírgulas desnecessárias.

Petições, como um todo, têm um péssimo hábito de criar parágrafos imensos, onde até o melhor entendedor da língua portuguesa pode se perder, se não ler atentamente cada detalhe.

Isso retarda o tempo de leitura, pode causar interpretações dúbias e ainda prejudicar o desempenho de sua peça processual.

Procure organizar sua reclamação trabalhista para que, cada parágrafo tenha entre 2 a 3 linhas, com algumas exceções até 4 linhas.

Isso vai permitir que cada parágrafo seja lido em poucos segundos, e permitirá maior dinâmica e entendimento em suas argumentações.

Reclamação Trabalhista

#5. Facilite o entendimento

Uma peça, por mais simples que seja, é manifestação única, autônoma.

Devemos contextualizar a peça: ela tem que indicar sua razão de existir, ainda que sucintamente.

Faça a pergunta: se alguém ler a sua peça processual, de maneira isolada, irá precisar consultar outras peças e documentos para entende-la?

Se para sua compreensão houver necessidade de consultar outras peças processuais, sabemos que sua reclamação trabalhista não disse a que veio.

Mesmo que a sua exposição torne a peça pouco maior, deixe claro seus pedidos, informações e alegações.

Isso faz que não seja necessário, ao magistrado e outros interessados, buscar informações em outras páginas do processo para entender o que está sendo pedido.

Peticione com precisão em sua reclamação trabalhista

Como podemos ver, a maneira de peticionar uma reclamação trabalhista poderá fazer uma enorme diferença no êxito e resultado de seu processo.

Como bom advogado, esteja preparado com nossas dicas para peticionar de maneira precisa, sabendo o que se deseja, e conduzindo o magistrado ao seu pensamento.

Ter uma peça processual fácil de ser lida e entendida facilitará a resolução do mérito e contribuirá para a celeridade processual.

É justamente por esse motivo que você precisa ser um exímio profissional na hora de criar petições trabalhistas.

Se você quer ir além do conhecimento, e aumentar o seu repertório de petições, pode ainda adquirir nosso pacote de petições trabalhistas, já atualizadas de acordo com o novo código de processo civil.

Você terá mais de 497 modelos de petições:

  • Modelo de petições iniciais facilitando suas ações.
  • Modelo de recursos para ajudar a ganhar tempo.
  • Maior agilidade e eficiência em suas ações, agrupado por casos práticos.
  • Modelo de manifestações.
  • Todos os materiais em formato .doc para você editar.

Quer saber mais? Acesse agora as petições trabalhistas.

Leave a Comment:

2 comments
Add Your Reply